Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
29/11/13 às 19h30 - Atualizado em 11/10/17 às 16h45

Cama e Café de Brasília é caso de sucesso em reunião no MTur

COMPARTILHAR

Programa de Hospedagem Alternativa do DF foi apresentado para as demais sedes da Copa do Mundo como exemplo de implementação

Representantes das cidades-sede da Copa do Mundo de 2014 se reuniram, nesta quinta-feira (28), no Ministério do Turismo para discutir a implantação e ampliação de hospedagem alternativa durante o Mundial. O Programa Cama e Café, lançado pelo Governo do Distrito Federal em maio deste ano, foi apresentado como exemplo para os demais estados e recebeu o reconhecimento da equipe técnica do MTur.

Com a meta de oferecer até 300 residências e 2.700 leitos para os torcedores da Copa do Mundo, o Programa de Hospedagem Alternativa Cama e Café do Distrito Federal já possui 277 casas inscritas. Após receber visitas para validação do cadastro, aquelas que foram aprovadas serão inseridas no site oficial do programa, desenvolvido pela Associação de Dirigentes de Vendas e Marketing do Brasil (ADVB) em parceria com o Sebrae.

“Delimitamos um projeto piloto e ampliamos para doze Regiões Administrativas, sempre contemplando as especificidades de cada uma. Todo o trabalho foi validado pelo Conselho de Desenvolvimento do Turismo do Distrito Federal (Condetur) na intenção de fortalecer o setor por meio da diversificação de oferta de hospedagem na cidade”, disse a subsecretária de Políticas de Turismo do Distrito Federal, Ariádne Bittencourt.

A comercialização ficará a cargo da ADVB e será feita por meio do portal do programa. A previsão de lançamento do site é para o próximo mês. Durante a reunião, os participantes puderam assistir a uma apresentação prévia de como irá funcionar o sistema.

No endereço, os visitantes poderão visualizar fotos e informações gerais sobre as residências cadastradas no Cama e Café, tais como quantidade de quartos, localização, estrutura física da casa ofertada, possibilidade de acesso à internet e outros. A reserva poderá ser realizada de acordo com a disponibilidade de vagas já indicada no momento da compra.

“Enquanto reserva a casa que deseja ficar, o turista pode navegar pelo sistema e descobrir o local onde está inserida a residência e outras ofertas de leitos próximos. Isso facilita a organização de grupos que viajam juntos e não conseguem ficar no mesmo local, uma vez que cada casa pode oferecer, no máximo, nove leitos”, explicou o coordenador do projeto pela ADVB, Newton Garcia.

O Programa de Hospedagem Alternativa Cama e Café do DF foi usado como caso de sucesso para esclarecer os representantes do Turismo em outros estados sobre a implementação do projeto, que deve ser levado à todas as cidades-sede da Copa de 2014 seguindo orientação do Ministério do Turismo.

“Desejamos dar oportunidade para aqueles que não podem se hospedar em hotéis. Sem a participação das cidades-sede é impossível fazer qualquer plano de hospedagem alternativa. Temos que planejar em conjunto”, disse o ministro do Turismo, Gastão Vieira, na abertura do encontro.

Um balanço do órgão apontou que mapeou cerca de 60 mil leitos de hospedagem alternativa nas 12 sedes, entre albergues, pensões de hospedagem (como o programa Cama e Café), motéis e aluguel para a temporada. Além de ampliar esse número, o MTur quer criar um site único de divulgação para o Mundial, com informações sobre todas as regiões abrangidas pelos jogos e entorno.