Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
26/11/13 às 19h54 - Atualizado em 26/11/13 às 19h56

Conselheiros conhecem política de combate à exploração sexual

COMPARTILHAR

Doutora da UnB apresentou Manual do Multiplicador com informações para prevenir o crime

Os membros do Conselho de Desenvolvimento do Turismo do Distrito Federal (Condetur-DF), que reúne as entidades representativas de todos os segmentos do turismo, conheceram, nesta segunda-feira (25) o Manual do Multiplicador – Projeto de Prevenção à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes no Turismo. O produto faz parte da Campanha Trinacional de Combate à Exploração Sexual Infanto-juvenil (ESCI), lançada no último dia 22 pela Itaipu Binacional com apoio do Ministério do Turismo e órgãos de direitos humanos dos governos da Argentina e do Paraguai.

A publicação, fruto da parceria com a Secretaria de Direitos Humanos e o Centro de Excelência em Turismo da Universidade de Brasília, será material de referência nos cursos de qualificação do projeto. A Doutora Iara Brasileiro, que coordenou a elaboração do documento, apresentou o Manual aos conselheiros e explicou as diversas formas que os associados às entidades que compões o Condetur podem ajudar a combater o crime.

“A ideia é a gente construir uma grande rede de proteção para combater esse crime, já que ele acontece como uma rede de exploração”, explicou ela. “Temos que perceber como podemos usar as ferramentas participativas para mobilizar as pessoas sobre esse assunto. Todos nós temos uma criança que amamos e temos que pensar como seria as vida dela se os direitos fundamentais lhe fossem retirados”, destacou.

Hotéis, bares, restaurantes e serviços de transportes são os principais alvos dos projetos de qualificação previstos no programa, mas foi unanime entre os conselheiros que o manual deve fazer parte de todos os setores envolvidos com a atividade turística. “É importante que toda a comunidade abrace essa causa e não apenas os hoteleiros, os donos de restaurantes, por exemplo”, disse Plínio Rabello, primeiro vice-presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis – Distrito Federal (ABIH-DF).

Geraldo Bentes, secretário-adjunto de Turismo do DF destacou que também é de suma importância desvincular a imagem do crime ao turismo. “Precisamos parar de falar em turismo sexual. Isso não é um produto comercializado por ninguém para ser considerado uma atividade turística. O que existe é um crime e nós temos que fazer a nossa parte para que ele seja combatido ao máximo”, destacou.

Combate nos grandes eventos

O secretário de Turismo do DF, Luís Otávio Neves, ressaltou que Brasília está cada vez mais consolidada no turismo de negócios e eventos e consequentemente vem recebendo mais visitantes. Intensificar ações de combate e deixar claro quais são os estabelecimentos que apoiam essas campanhas é fundamental.

“Precisamos causar a melhor impressão nesses visitantes. Os turistas de negócios e eventos podem potencializar o turismo de lazer, pois uma vez que um congressista, ou um atleta é bem atendido na nossa cidade ele acaba voltando com amigos e família e indicando o nosso destino”, disse Neves .

Ele lembrou que essa semana a capital do país recebe a Gymnasiade – Olímpiada Estudantil, que trouxe mais de 1700 atletas entre 15 e 17 anos, junto com mais 300 técnicos e familiares de quase 40 países, sendo já uma grande oportunidade de divulgação de Brasília como um destino único no país e que se preocupa com os direitos e proteção dos jovens.

Para saber mais sobre o combate a exploração de crianças e adolescentes baixe o manual aqui.