Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
21/08/13 às 18h18 - Atualizado em 21/08/13 às 18h19

Mané Garrincha lidera no Brasileirão

COMPARTILHAR

Após 15 rodadas da competição, estádio de Brasília tem as melhores marcas de renda e público

Recorde de público e de renda. Após 145 partidas distribuídas em 15 rodadas do Campeonato Brasileiro de 2013, o Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha lidera o ranking da competição, considerando a venda de ingressos e o número de espectadores. Nas sete partidas realizadas na nova arena multiuso brasiliense, a arrecadação chegou a R$ 20.561.695,00, a maior de todos os estádios, e o público presente foi de 291.923. Também um recorde entre as arenas brasileiras.

Para se ter uma ideia de como o Mané Garrincha tem se destacado no Brasileirão, a arrecadação do estádio equivale a 27% de toda a renda do campeonato, de R$ 77.095.494,00. E não é só isso. A arrecadação é 38 vezes maior do que a média nacional do Brasileirão. Levando em consideração o público, o estádio de Brasília registrou média três vezes maior do que a nacional: 41.703 contra 14.764.

Os dados fazem parte dos Borderôs Financeiros divulgados no site da Confederação Brasileira de Futebol (CBF). Trata-se de um extrato que os clubes são obrigados a divulgar após cada partida com informações sobre renda, público e todas as despesas feitas em cada jogo.

Para o secretário Extraordinário da Copa, Claudio Monteiro, a marca atingida pelo Mané Garrincha mostra o potencial do estádio para o desenvolvimento econômico e social da capital federal, como gerador de renda e empregos. Além disso, Monteiro destaca que a arena é uma opção de entretenimento para as famílias brasilienses, que agora têm novo ponto de encontro aos finais de semana.

Segundo Claudio Monteiro, a liderança do Mané Garrincha no Brasileirão é resultado da presença dos torcedores, o que se tornou o maior atrativo da arena brasiliense. “Quanto mais o público vier, mais interesse os clubes terão em jogar aqui”, aponta Monteiro. Ele destaca, ainda, o show de civilidade que a torcida brasiliense tem dado, o que contribuiu para tornar Brasília a capital do futebol, obtendo resultados bem melhores do que os estádios tradicionais do País.

De acordo com dados da Secretaria Extraordinária da Copa (Secopa), cada partida realizada no Distrito Federal movimenta cerca de R$ 12 milhões na economia local, abrindo pelo menos dois mil postos de trabalho diretos e indiretos.

Retorno social – Os jogos no Mané Garrincha já começam a dar retorno ao Governo do Distrito Federal. A arrecadação com os jogos para o Tesouro local já chega aR$ 1.773.658,05. O valor é referente à taxa de uso pelo estádio e foram definidos pelo Decreto 34.561/2013, variando entre 13% e 15% da arrecadação bruta, dependendo da quantidade de partidas que o clube de futebol fechar com a arena.

No entanto, para o GDF, maior retorno do investimento é o social, a geração de emprego e o legado que a capital ganhará com o estádio. Pois a arena alçou Brasília ao circuito internacional de grandes eventos esportivos e culturais.

Os números, ressalta Cláudio Monteiro, “derrubam a teoria de que o estádio é um elefante branco e mostram o quanto ele já se tornou importante para a vida social e econômica da cidade”.

Fonte: ComCopa