Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
1/04/13 às 18h59 - Atualizado em 1/04/13 às 19h23

Nações lusófonas propõem parceria com a OMT e lançam portal

COMPARTILHAR

Membros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa vão fazer promoção conjunta on-line e buscar capacitação técnico-profissional. 

Os ministros e autoridades do Turismo dos integrantes da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) criaram um portal de promoção integrada e propuseram um memorando de entendimento com a Organização Mundial de Turismo (OMT). As definições constam da Declaração de Maputo, assinada nesta quinta-feira (28) pelos representantes das sete nações irmanadas pela língua na capital de Moçambique.

Durante a abertura do encontro, o ministro do Turismo brasileiro, Gastão Vieira, relatou os avanços conquistados no setor nos últimos anos e definiu os megaeventos a serem realizados no país nos próximos anos, como a Copa do Mundo e as Olimpíadas, como uma conquista de todos os membros da comunidade lusófona. “Falamos o mesmo idioma e compartilhamos diversos aspectos culturais. Essa união de esforços é fundamental para avançarmos na inclusão social, geração de emprego e renda por meio do turismo”, destacou.

O memorando de entendimento entre a CPLP e a OMT prevê a cooperação para elaboração de um plano estratégico de turismo para a CPLP, a capacitação técnico-profissional nas áreas de estatísticas com foco na criação da conta-satélite, marketing, inspeção e fiscalização de empreendimentos turísticos e a captação de recursos para financiamento de projetos no setor.

Dentro da estratégia de promoção integrada, foi apresentado aos ministros o portal de turismo da CPLT, ainda em fase de finalização. Na página eletrônica, os países-membros poderão divulgar informações institucionais e de destinos. Os participantes firmaram compromisso de enviar conteúdo e manter atualizada a página, que deverá ser traduzida para inglês, espanhol, francês e mandarim antes do lançamento oficial. Os integrantes da comunidade se cotizarão para arcar com os custos da tradução.

 

*Com informações do Ministério do Turismo