Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
3/04/13 às 18h48 - Atualizado em 3/04/13 às 18h58

Obra de Niemeyer receberá memorial em homenagem a João Goulart

COMPARTILHAR

Projeto foi o último do arquiteto aprovado para Brasília

Em breve Brasília ganhará mais um museu para complementar a vida cultural da cidade e aumentar o acervo de obras projetadas por Oscar Niemeyer. O último projeto do arquiteto para Brasília sairá do papel graças ao convênio firmado pelo GDF e o Instituto João Goulart. O edifício abrigará o Memorial da Liberdade Presidente João Goulart, que será construído na Praça Municipal, entre o Memorial JK e a Catedral Rainha da Paz.

O novo Memorial da cidade concentrará um pouco da história, dos documentos e do acervo do último presidente brasileiro antes do regime militar. A expectativa é que o monumento esteja concluído antes de 31 de março do próximo ano, quando se completará 50 anos que o então presidente saiu do poder. “Vai ser a oportunidade para os brasilienses conhecerem mais sobre a história do país”, destacou o filho do ex-presidente, João Vicente.

Para o turismo da cidade a ação é fundamental. “Brasília, como capital do país, conserva a história da construção de um país democrático. Ter mais um espaço cultural para relembrar essa trajetória enriquece nosso destino com mais um importante atrativo turístico, que ainda complementa o acervo de Niemeyer nesta cidade que é um verdadeiro museu a céu aberto do trabalho deste grande mestre”, acredita o secretário de Turismo, Luis Otávio Neves.

Nesta terça-feira (2), o governador Agnelo Queiroz recebeu em seu gabinete, dois representantes da família de João Goulart – João Vicente Goulart, filho do ex-presidente da República, e sua mulher, Verônica Goulart – e o presidente nacional do PDT, Carlos Lupi. O encontro teve por objetivo tratar da construção

João Goulart

João Belchior Marques Goulart, conhecido como Jango, nasceu em São Borja (RS),em 1º de março de 1919. Foi presidente do Brasil entre 1961 a 1964. A renúncia de Jânio Quadros, fez com que João Goulart, assumisse o cargo conforme previsto na Constituição que dizia que o vice-presidente deveria assumir o governo.