Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
22/10/20 às 18h26 - Atualizado em 22/10/20 às 18h26

Programa Arte no CAT é finalista de prêmio do Iphan

COMPARTILHAR

Projeto Arte no CAT é um dos concorrentes da 33ª Edição do Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade, no segmento “Administração direta e indireta (exceto municípios)” da categoria “Patrimônio Imaterial”.

 

 

Ações levaram apresentações de dança, música, exposições de fotografia, pintura, arte popular, poesia e saraus de literatura para o Centro de Atendimento ao Turista da Casa de Chá, na Praça dos Três Poderes

 

 

 

O programa Arte no CAT, promovido pela Secretaria de Turismo do Distrito Federal (Setur-DF), é um dos três finalistas da 33ª Edição do Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade, listado no segmento “Administração direta e indireta (exceto municípios)” da categoria “Patrimônio Imaterial”.

 

As ações que transformaram o Centro de Atendimento ao Turista da Casa de Chá, na Praça dos Três Poderes, em palcos para apresentações de dança, música, exposições de fotografia, pintura, arte popular, poesia e saraus de literatura tiveram o reconhecimento por parte do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), organizador do prêmio.

 

O projeto de Brasília teve o dom de devolver a praça ao povo com espetáculos lúdicos que encantaram turistas e a população da cidade. Foram eventos realizados antes da pandemia que lotaram a Praça dos Três Poderes com espetáculos de Ballet Clássico e Contemporâneo protagonizados por algumas das principais companhias de dança da capital.

 

O Arte no CAT levou, entre maio e dezembro de 2019, cerca de 30 eventos totalmente gratuitos para a população. A programação que é finalista do prêmio do Iphan foi organizada em três eixos, o Ballet na Praça, o CAT Recebe e o Natal da Casa de Chá.

 

Considerada a maior premiação nacional no campo do Patrimônio Cultural, a iniciativa tem como objetivo valorizar aqueles que atuam em favor da preservação dos bens culturais do país. A edição deste ano teve recorde de inscrições, com 515 projetos buscando o reconhecimento do Iphan como referência na preservação do patrimônio brasileiro. Cada um dos premiados nas 12 categorias receberá o valor de R$20 mil.

 

A secretária de Turismo, Vanessa Mendonça, comemorou o reconhecimento do Iphan ao projeto. “Nosso objetivo era transformar os nossos CATs em verdadeiros espaços de convivência e de experiências para a população de Brasília e para quem visita a nossa capital. Ali, na Casa de Chá, em especial, foi uma satisfação perceber a ressignificação da Praça dos Três Poderes, que foi ocupada pela população em forma de arte, entretenimento e cultura”, afirma.

 

O projeto da Setur-DF concorre em sua categoria com a “Atividade Permanente da Sala Imbalança”, do Centro Cultural Cais do Sertão, em Recife, e com a “Ação Jovem Rural e do Mar”, da Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina. Segundo Vanessa Mendonça, a qualidade dos finalistas engrandece a premiação.

 

Além dos 12 grandes vencedores, a comissão julgadora irá distribuir cinco distinções de menção honrosa como reconhecimento pelo mérito na preservação, salvaguarda, promoção e valorização do Patrimônio Cultural Brasileiro.

 

 

 

 

 



 

Apresentações levaram arte à Casa de Chá, na Praça dos Três Poderes: indicação ao prêmio do Iphan é reconhecimento do impacto da ação para a população do Distrito Federal e para o turismo local