Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
13/12/19 às 18h00 - Atualizado em 13/12/19 às 18h02

Projeto leva alunos da rede pública para imersão sobre a história de Brasília

COMPARTILHAR

 

A partir de 2020, programação estará disponível para estudantes de todo o país

 

Fotos Pedro Chavo/Setur-DF

 

Uma imersão cultural de três dias nos pontos turísticos históricos mais importantes de Brasília. É essa experiência que o projeto “Brasília, nossa capital” proporciona a estudantes do ensino fundamental e médio de todo o país. Neste ano, foram priorizados estudantes do DF, e a partir do ano que vem o projeto estará aberto para outros estados. Neste final de semana, será a vez dos alunos de escolas do Gama e Recanto das Emas.

 

A programação começa na sexta-feira (13) e vai até domingo (15). Os alunos ficarão hospedados em um hotel na região central de Brasília e a programação inclui visitas ao Museu Vivo da História Candanga, Museu do Catetinho, Congresso Nacional, Museu JK, Catedral, Quadra Modelo (308 sul), Ponte JK, TST, Praça dos Três Poderes e, por fim, ao Palácio do Planalto. A visitação é orientada por guias de turismo especializados e conta também com a participação dos professores de cada turma.

 

A professora Rita Rosa, do ensino médio do Centro Educacional Myriam Ervilha, da regional do Recanto das Emas, explica que esse é um momento único para os estudantes. “Esse projeto é uma oportunidade ímpar para os alunos, porque a nossa escola fica em uma área afastada e eles não têm acesso a muitas atividades culturais, então muitos só conseguem conhecer a área central de Brasília quando a escola promove eventos. Eles vão viver momentos únicos e estão bem eufóricos e agradecidos”, disse.

 

A estudante Kelly Cristinne, de 16 anos, faz parte da turma do 2º ano do ensino fundamental do CED Myriam Ervilha e está na expectativa para começar o tour pela cidade. “Todo mundo está muito animado porque é uma oportunidade de conhecer Brasília de uma maneira diferente, além do superficial. A gente já visitou a Catedral, o estádio, o Parque da Cidade, mas ainda tem muita coisa que a gente não conhece e que é essencial pra gente entender a história. Então eu acho esse final de semana vai ser muito interessante, fora que é uma boa oportunidade de estarmos juntos e aprender sobre o local onde a gente vive”, disse.

 

Alguns temas centrais são abordados durante as visitas: a transferência da capital do Brasil e sua construção no centro do país; Brasília enquanto símbolo nacional da República Federativa do Brasil e cidade planejada, além de outras curiosidades sobre a capital federal.

 

Os cerca de 200 estudantes do DF que participam do projeto em 2019 foram selecionados por meio de um concurso de produção audiovisual. O material produzido será utilizado para apresentar a cidade para estudantes de fora do DF. Para estimular os alunos, as 12 melhores fotos tiradas durante as visitas ganharão o prêmio de fotografia “Brasília, Nossa Capital”. Os resultados serão divulgados no dia 18 de dezembro, quando se encerra o calendário letivo das escolas públicas do DF. As fotografias selecionadas farão parte de uma exposição em comemoração aos 60 anos de Brasília.

 

Para a secretária de Turismo do DF, Vanessa Mendonça, a iniciativa é uma ferramenta importante para que crianças e adolescentes tenham contato com a história de Brasília e do Brasil de forma mais aprofundada. “A história da cidade, apesar de recente, é muito rica e fundamental para o entendimento da história, da política e do cenário social do país. E além de levar conhecimento, as visitas ainda conseguem despertar o sentimento de patriotismo nos nossos jovens”, afirma a secretária. O programa é uma parceria entre a Secretaria de Turismo e a Secretaria de Educação e é promovido pelo grupo Viaja Brasília, do Voetur. A partir do início de 2020, serão ofertados pacotes de viagem voltados para o Turismo Cívico de Brasília a estudantes de todo o país. Os pacotes serão comercializados por agências de viagens.

 

O presidente da Voetur, Carlos Alberto de Sá, acredita que o projeto pode contribuir ainda mais para propagar o que Brasília representa para todo o paíse movimentar o setor. “A programação dos estudantes de Brasília servirá também de exemplo para despertar o interesse de escolas de outros estados, e assim movimentar o turismo de Brasília, a rede hoteleira, os restaurantes e o transporte”, disse.