Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
22/05/13 às 19h41 - Atualizado em 22/05/13 às 19h45

Secretário apresenta ao Senado projetos de promoção do Brasil

COMPARTILHAR

Luís Otávio Neves falou à CDR como vice-presidente do Fornatur

A Comissão de Desenvolvimento Regional e Turismo (CDR) discutiu, nesta quarta-feira (22), os megaeventos como plataformas de promoção do turismo brasileiro. A audiência pública, que teve como foco os projetos do governo para o setor, abriu o ciclo de debates sobre a preparação do país para a Copa das Confederações, Copa do Mundo, Jornada Mundial da Juventude da Igreja Católica, Olimpíada e Paraolimpíada.

Vice-presidente do Fórum Nacional dos Secretários e Dirigentes Estaduais de Turismo (Fornatur) e secretário de Turismo do Distrito Federal, Luís Otávio Neves, participou da audiência e apresentou os projetos de promoção do Brasil para os megaeventos. “Esses eventos vão divulgando o Brasil e fazendo com que nossos destinos turísticos sejam conhecidos mundialmente”, disse.

Em sua apresentação Neves destacou as diversas iniciativas e investimentos em campanhas, infraestrutura, e atendimento ao turista feitas por cidades como Belo Horizonte, Salvador, Fortaleza, Manaus e Brasília. “Todas essas ações são feitas em parceria com o ministério do Turismo que, desde o ano passado, tem disponibilizado verbas para que possamos tornar o país um destino cada vez mais competitivo”, explicou.

No caso de Brasília, por exemplo, Neves citou os investimentos feitos em campanhas promocionais, totens informativos, aplicativos com informações turísticas, hotsite, centros de atendimento fixos e móveis, call tur e materiais promocionais e informativos da cidade. “Temos investido muito no atendimento ao turista porque sabemos que este é o nosso cartão de visita', destacou.

Projetos no mesmo sentido desenvolvidos pelas outras cidades-sedes também foram apresentados pelo dirigente mostrando que o país está se preparando para aproveitar ao máximo essa oportunidade pensando nos pós-eventos. Neves também alertou sobre a necessidade de todo o país se preocupar com o legado desse momento. “Precisamos trabalhar a legislação, precisamos de recursos, mas principalmente precisamos nos preocupar com o legado. Isso é mais importante que o evento em si, por que é esse legado que vai garantir emprego e renda para milhares de brasileiros”, declarou.

Brasil como destino internacional

O presidente do Instituto Brasileiro de Turismo (Embratur), Flávio Dino, também participou da audiência na Comissão de Desenvolvimento Regional e Turismo e alertou os parlamentares sobre a necessidade de se investir na promoção e estruturação do Brasil como destino internacional.

Segundo Flávio Dino, o turismo internacional no país cresceu 4,5% no ano passado, mas ele acredita que o país ainda pode ser audacioso e crescer mais a ponto de compensar o volume de saídas de brasileiros.

Para Dino a solução para impulsionar este crescimento passa por três providências: o fortalecimento de ações de promoção do Brasil no exterior; a facilitação da entrada de estrangeiros no Brasil, com a revisão da política de vistos; e a melhoria da competitividade, com a prática de preços justos, o que vai depender fundamentalmente da participação do setor privado. “Avançamos um pouco no ano passado, com duas medidas adotadas pelo governo federal, que foi a redução da tarifa da energia elétrica e a inclusão da rede hotelaria e da aviação no Plano Brasil Maior. Mas é preciso avançar numa agenda de desoneração tributária para que o Brasil não perca este momento favorável que temos à frente”, disse.

Os grandes eventos internacionais voltarão à pauta da comissão para debater os impactos econômicos e os legados dos megaeventos ao setor turístico nacional. A reunião desta quarta-feira foi conduzida pelo presidente da CDR, Antônio Carlos Valadares (PSB-SE), e contou com a presença do vice-presidente da CDR, senador Inácio Arruda (PCdoB-CE), da senadora Lídice da Mata (PSB-BA), senador Lobão Filho (PMDB-MA), técnicos da secretaria de Turismo do DF e diretores da Embratur.