Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
6/11/20 às 17h28 - Atualizado em 6/11/20 às 18h14

Setur e SESC Turismo do DF planejam ações com foco na Melhor Idade e em PNEs

COMPARTILHAR

 

A Secretaria de Turismo do Distrito Federal e o SESC Turismo reuniram-se, nesta sexta-feira, 6 de novembro, para identificar e elaborar estratégias para as próximas ações e reforçar ações conjuntas já em execução. A secretária Vanessa Mendonça destacou projetos para o acesso de pessoas com necessidades especiais e da melhor idade ao turismo local e a importância do SESC para a realização deles.

 

Elisângela Barros, coordenadora do SESC Turismo do DF, defende que a melhor idade seja definida como um eixo importante a ser trabalhado pelo setor.

 

Para a secretária Vanessa, este público – PNEs e Idosos –  precisam sentir segurança e terem condições para turistar no Distrito Federal. “Lançaremos a rota do turismo cívico acessível, em parceria com a Embratur. Brasília tem que ser a capital do turismo acessível e vamos ter isso com a ajuda e colaboração de quem vive essa realidade. E o foco não é só o cadeirante, é o autista, o cego, entre outros. Nós precisamos tornar possível essa experiência de um turismo acessível. Tirar essas pessoas de dentro de casa”, explicou.

 

Vanessa Mendonça indagou o SESC sobre qual pode ser a contribuição deles para tornar este projeto realidade. “Quero fazer rotas para a melhor idade com o SESC turismo. Ir em busca do título: ‘Brasília, capital da Melhor Idade’”, descreveu.

 

O primeiro momento para a realização deste projeto, de acordo com a secretária, é conhecer a realidade atual. “Quais são os pontos turísticos, como vai ser o transporte para os passeios, por exemplo. Para isso já temos dois ônibus, que inclusive vamos adesivar. Agora, temos que contratar o guia”, adiantou.

 

Parceria com SESC TURISMO

A coordenadora do SESC Turismo do DF, Elisângela Barros, reforçou a parceria entre as instituições e se colocou à disposição para ajudar a SETUR. “No turismo do DF, somos um dos primeiros a organizar o setor. Eu tinha previsto para o segundo semestre muitas ações, mas a pandemia os prejudicou. Terminarei o ano com apenas 10 roteiros, por exemplo”, lamentou.

 

Elisângela foi elogiada pela secretária Vanessa pelos resultados, mesmo diante da pandemia do coronavírus. “O impacto da pandemia é certamente muito maior do que eu posso dizer, porque você tem uma atividade e parou totalmente. É um bom resultado os 10 roteiros, uma conquista extraordinária”, acrescentou.

 

Segundo a secretária, o trabalho em meio à pandemia é importante para que as ações futuras estejam planejadas. “Temos que estar preparados para abrir os serviços a qualquer momento”.

 

O SESC Turismo DF vai colocar com a SETUR também na realização do Prêmio Novo Olhar Brasília, sugerindo, por exemplo, nomes a receberem menção honrosa da pasta.